Alacero-59: América Latina cresce mas apresenta riscos pela competição desleal

-A A +A
Alacero - Cartagena das Índias, Colômbia, 7 de Novembro, 2018. Apesar dos sinais de recuperação por dois anos seguidos, América Latina vem sofrendo com os efeitos da China e da Turquia. 
 
O principal tema discutido ao longo do Congresso Alacero-59 foi a preocupação com o aumento das importações e a queda das exportações na região, apesar das perspectivas de encerrar o ano de 2018 crescendo um pouco acima na produção de aço bruto na América Latina em comparação a 2017.
 
Segundo o diretor geral da Alacero, Francisco Leal, “a indústria global e regional segue sendo afetada pelo excesso de capacidade instalada, onde a China é o principal país que contribui para essa problemática”. 
 
Ainda, “a imposição de taxas sobre o aço por parte dos Estados Unidos com a 232 somada à sobre capacidade global criam um alerta vermelho para a indústria siderúrgica da região. Já que, além da China, as importações vêm aumentando com a Turquia e outros países da Ásia”, complementa Leal. 
 
Entre os temas que foram debatidos no Congresso estão os desafios e oportunidades da automatização. Rizwan Janjua, Chefe de Tecnologia do World Steel compartilhou as vantagens da indústria 4.0 e refletiu sobre o que não é possível ser automatizado, como por exemplo as habilidades humanas: o pensamento crítico e a criatividade. 
 
Para Imelda Restrepo, vice-presidente de Desenvolvimento Econômico e Competitividade da ANDI, “não podemos fazer o mesmo que estamos fazendo há alguns anos. Necessitamos pensar no futuro”. Sobre os futuros consumidores de aço “milleniuns” ela complementa: “Antes fazíamos nossos produtos e buscávamos como vender. Agora temos que pensar ao contrário, ou seja, conhecer a necessidade que o mundo precisar e nos adaptarmos o mais rápido possível”.

Novo Comitê Executivo

Como parte da cerimônia de encerramento, a Alacero anunciou a composição de seu novo Comitê Executivo para 2019. Os executivos foram eleitos na reunião do Conselho da Alacero e, assumem suas funções a partir de hoje.  
 
Máximo Vedoya, CEO da Ternium, assume a presidência da Alacero. Vedoya possui 48 anos de idade e conta com uma trajetória de 26 anos trabalhando na indústria siderúrgica. O restante do comitê está composto por:
 
• 1º vice-presidente: Jefferson de Paula
• Secretário: Gustavo Werneck
• Tesoureiro: Martín Berardi
• Diretores: Marcos Faraco, Carlos Zuluaga, Fernando Reitich e Raúl Gutiérrez
   
Máximo Vedoya encerrou o congresso e convidou a todos a participarem do Congresso Alacero-60, que acontecerá em novembro de 2019 em Buenos Aires, Argentina.  •• 

Contato

Comunicaciones
(+55 11) 3195-5491

Sobre a Alacero

Alacero (Asociación Latinoamericana del Acero) – é uma entidade civil sem fins lucrativos que reúne a cadeia de valor do aço da América Latina. Seus associados desenvolvem suas atividades em 19 países do mundo e, sua produção é de aproximadamente 70 milhões de toneladas anuais, representando 95% do aço fabricado na América Latina.
 
Fundada em 1959, a entidade busca fomentar os valores de integração regional, inovação tecnológica, excelência em recursos humanos, responsabilidade empresarial e sustentabilidade socioambiental. A Alacero é reconhecida como Organismo Consultor Especial para as Nações Unidas.