Comunicado sobre o anúncio de retomada de tarifas por parte do Governo dos Estados Unidos

-A A +A

A Associação Latino-Americana do Aço (Alacero) recebe com surpresa e preocupação a decisão anunciada hoje (2/dez) pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de restabelecer tarifas de importação sobre aço e alumínio vindos do Brasil e da Argentina com o argumento de que esses países levaram a uma desvalorização maciça de suas moedas, supondo que isso não seja bom para os agricultores americanos. Acreditamos que no livre comércio as moedas flutuam de acordo com os cenários interno e externo de cada país, sem a manipulação de governos, pelo menos nos casos da Argentina e do Brasil.

Para nossa associação, representante da cadeia siderúrgica latino-americana, a manipulação de tarifas sobre commodities relevantes para as economias de países parceiros, na tentativa de resolver problemas claramente fora do assunto original do debate, é um preceito errado contra a possibilidade de chegar a acordos junto a países que colaboraram estreitamente antes.

A Alacero reforça que a decisão, expressa na mensagem do presidente no Twitter, prejudica a economia de seu próprio país, uma vez que a cadeia da indústria siderúrgica nos Estados Unidos precisa de produtos siderúrgicos que nem sempre são produzidos internamente, dependendo de países parceiros como Brasil e Argentina. Tais posições do governo dos EUA diante dos atuais conflitos comerciais internacionais trazem um impacto ainda mais sério à América Latina, cujas economias precisam de mais estabilidade do que nunca para fortalecer seus planos de crescimento em curto prazo.

É importante ressaltar que a Alacero, juntamente com Argentina, Brasil e outros países da região, têm um papel ativo como aliados estratégicos dos Estados Unidos da América, na luta contra a sobrecapacidade global da produção de aço, integrando o Fórum Global de Excesso de Capacidade Aço no âmbito da OCDE. A Alacero apoia as Câmaras da Argentina e do Brasil para que o problema seja resolvido em conjunto com os respectivos governos na iminente Cúpula do Mercosul, em 5 de dezembro. ••

 

Contato
[email protected]
+55 11 3195-5803