Produção de aço da América Latina cai 12% em dezembro e acumula baixa de 9% em 2019 comparado ao ano anterior

-A A +A

Resultado latino-americano contrasta com o da indústria chinesa

Alacero - São Paulo, Brasil, 17 de fevereiro de 2020. Em um mercado enfraquecido pela perda de competitividade e consumo, decorrente do alto custo do mercado interno e da concorrência desleal, a América Latina viu sua produção de aço bruto em dezembro cair 12% em relação ao mesmo mês de 2018, totalizando 4.499 milhões de toneladas (Mt). O saldo anual na América Latina foi negativo, com resultado 9% inferior ao observado no período equivalente em 2018 (5.704 Mt). O Brasil foi o principal responsável por esse número (56%), seguido pelo México (30%), que registrou seu pior indicador em quase quatro anos. A Argentina também contribuiu (9%).

Esse resultado contrasta com o da China que, durante 2019, teve um aumento de 8% em sua produção de aço bruto em comparação com 2018. Em 2019, as importações chinesas representaram 25% do total importado pela América Latina, tornando nossa região como a segunda principal receptora das exportações de produtos laminados da China. Vale destacar que na América Latina as ações antidumping também cresceram no último trimestre de 66 para 74, sendo 50 delas contra a China.

Com o efeito China, a produção de aço laminado, que impacta diretamente o consumo, atingiu seu nível mais baixo em 3 anos (3.598 Mt.) em dezembro, um total 11% inferior a dezembro de 2018 – o quarto declínio mensal consecutivo.  Ao mesmo tempo, as perspectivas futuras são incertas com a epidemia do coronavírus que pode afetar o comércio mundial, como alertou a Organização Mundial do Comércio (OMC). A América Latina enfrenta um processo de contração econômica que pesa sobre o desenvolvimento da indústria e influencia sua produtividade. ••

 

Contato
[email protected]
+55 11 3195-5803